Wednesday, 8 June 2011

Outro testamento


Quando eu morrer deitem-me nu à cova
Como uma libra ou uma raiz,
Dêem a minha roupa a uma mulher nova
Para o amante que a não quis.

Façam coisas bonitas por minha alma:
Espalhem moedas, rosas, figos.
Dando-me terra dura e calma,
Cortem as unhas aos meus amigos.

Quando eu morrer mandem embora os lírios:
Vou nu, não quero que me vejam
Assim puro e conciso entre círios vergados.
As rosas sim; estão acostumadas
A bem cair no que desejam:
Sejam as rosas toleradas.
Mas não me levem os cravos ásperos e quentes
Que minha Mulher me trouxe:
Ficam para o seu cabelo de viúva,
Ali, em vez da minha mão;
Ali, naquela cara doce...
Ficam para irritar a turba
E eu existir, para analfabetos, nessa correcta irritação.

Quando eu morrer e for chegando ao cemitério,
Acima da rampa,
Mandem um coveiro sério
Verificar, campa por campa
(Mas é batendo devagarinho
Só três pancadas em cada tampa,
E um só coveiro seguro chega),
Se os mortos têm licor de ausência
(Como nas pipas de uma adega
Se bate o tampo, a ver o vinho):
Se os mortos têm licor de ausência
Para bebermos de cova a cova,
Naturalmente, como quem prova
Da lavra da própria paciência.

Quando eu morrer. . .
Eu morro lá!
Faço-me morto aqui, nu nas minhas palavras,
Pois quando me comovo até o osso é sonoro.

Minha casa de sons com o morador na lua,
Esqueleto que deixo em linhas trabalhado:
Minha morte civil será uma cena de rua;
Palavras, terras onde moro,
Nunca vos deixarei.

Mas quando eu morrer, só por geometria,
Largando a vertical, ferida do ar,
Façam, à portuguesa, uma alegria para todos;
Distraiam as mulheres, que poderiam chorar;
Dêem vinho, beijos, flores, figos a rodos,
E levem-me - só horizonte - para o mar.

VITORINO NEMÉSIO
1901 - 1978

4 comments:

Anonymous said...

¿Qué testamento cuando queda la mitad de la vida por vivir?
Una rosa es una rosa.
http://www.youtube.com/watch?v=dv958EeZXHc
C.

xistosa - (josé torres) said...

Nu ou vestido... quero é ser cremado.
Não cromado.
Já deixei a semente da ira, ou da ironia...

Um abração do mesmo de sempre.

AGRIDOCE said...

XISTOSA,
Cromado ficarias muito mais brilhante.
Mas a cromagem obrigaria a que ficasses nu, porque os tecidos não resistem ao processo.
Um dia experimenta e vai ver-te ao espelho (depois da cromagem, claro).
Abraço.

AGRIDOCE said...

ANONYMOUS C.
Ah, mi queda la mitad por vivir?
Gracias.